Eu, meu ego e o Brasil Tostines

Então é isso. Eu nunca pensei que justamente eu fosse escrever um texto tão pessimista e sem esperanças.

Mas gente esperou décadas para o Brasil acordar. E quando ele acordou, despontou a dúvida se estamos mesmo preparados para pedir mudanças.

Sim, porque a gente mete o pau no projeto de cura-gay do Feliciano, chamando o pastor/deputado de “viado enrustido”. A gente é contra a corrupção pagando cafezinho para o guardinha não multar nosso carro estacionado há horas na zona azul. Fazemos cartazes falando de inclusão social, mas estacionamos em vagas para pessoas com necessidades especiais. A gente vai na rua gritar que quer transporte público de qualidade, mas vai pro trabalho todo dia de carro sozinho e ainda reclama que o congestionamento está foda. Queremos ser respeitados como ser humano e que a polícia não cometa abusos, mas acha ok segurar mulher pelo braço na balada e consideramos embebedá-la uma tática de conquista. Vai na marcha das vadias levantar faixa contra estupro, mas bota em dúvida a virilidade do cara que não quis te comer. Continuar lendo