Coisas boas da semana

Essa semana me dei conta que sou cheia das superstições.

Por exemplo: toda vez que eu fico nervosa ou ansiosa, começo a ter tique no olho. Não chego a ficar com síndrome da árvore de natal, mas fico sentindo o nervinho das pálpebras darem um pulinho de vez em quando. O que acontece é que quando eu era criança minha mãe me contou que a minha bisavó dizia que se desse tique no olho direito, era coisa boa que ia acontecer e se fosse no esquerdo, era coisa ruim. E coincidentemente eu comecei a notar esse padrão na minha vida: olho direito pulando, coisa boa. Olho esquerdo coisa ruim. E nem adianta vir tentar me convencer de que é tudo uma grande coincidência porque eu estou convencida de que as coisas boas e ruins do meu dia-a-dia são determinadas pelos meus tiques.

Outra superstição é coceirinha na palma da mão. Certeza que você já ouviu alguém dizendo por aí que coceirinha na palma da mão é dinheiro que você vai ganhar. E funciona, cara! Juro! Mas só se for na mão esquerda, porque a mão esquerda é a que recebe energia. Se eu sinto coceira na palma da mão direita, a mão que emite energia, certeza que é dinheiro indo embora.

E a última e mais macabra, é quando eu sonho que perdi um dente. Minha bisavó (não a dos tiques, outra.) dizia que sonhar com o dente caindo era morte na família. E tenho um certo arrepio ao lembrar que sim, alguns sonhos em que perdi um ou mais dentes, coincidiram com mortes entre meus parentes, mas também coincidiram com perdas grandes que me afetaram muito. Claro que já vieram me dizer que na verdade meu subconsciente sabia que teria essas perdas, por conta de captar sinais que me passaram despercebidos e o sonho é só uma consequência disso, mas eu continuo acreditando que se eu sonhar com dente caído alguém morre.

É claro que esses são os tipos de superstições que levariam alguns diagnósticos psquiátricos, tipo TOC ou paranóia (brincadeira, gente. Eu sei que esses distúrbios são sérios e dificultam muito a vida das pessoas.) ou pelo menos representam alguma tendência nesse sentido. Mas quem sou eu para questionar os sinais que o universo me manda?

Brigada eu.

lua

Portal do Homem (Alex Castro) – Gentileza em Copacabana (crônica)

Mentirinhas (Fabio Coala) – Tirinha #494 (tirinha)

Entre Todas as Coisas (Daniel Bovolento) – Se eu não tivesse você (crônica)

Bichinhos de Jardim (Clara Gomes) – Nada (tirinha)

Trivialidades da Vida (Fernanda Mota) – Engano (conto)

Biscoitices (Re Biscoito) – A esperança veio de Cusco, no Peru (crônica)

Torradas Tostadas (Nina Rocha) –  Amargo  (conto)

Ryotiras (Ryot) – Translucidez (HQ)

Café com Nata (Nata Castro) – Por onde o mundo gira (ensaio fotográfico)

A Vaca Voadora (Bianca Pinheiro) – Luís olhava pro chão (HQ)

Escrevinhador – Poesias (conto)

Gavilan (Clara Gavilan) – Tomando antibiótico (cartum)

Coisas boas da semana

Às vezes rola um branco.

Fico angustiada porque, para mim, escrever é uma necessidade meio que fisiológica. Daí é tipo uma prisão de ventre literária.

Mas não adianta sentar na frente da tela em branco e ficar esperando que Calíope venha, de onde quer que ela esteja depois que a mitologia grega caiu em desuso na fé do mundo civilizado, para plantar uma boa ideia na minha cabeça.

Aí eu descobri um método infalível para não ficar dependendo da boa vontade das musas: fazer coisas que nunca fiz antes.

Percebi que todas as vezes que o branco veio, minha vida estava um tanto acomodada em uma rotina previsível e isso não faz bem a ninguém.

Aí eu resolvo puxar conversa com uma pessoa com quem nunca falei antes, ouvir uma banda nova, ir a um lugar que nunca estive antes, fazer um curso rápido… Enfim, as possibilidades (graças a Deus e não às musas) são infinitas.

E olha, fazer coisas diferentes com certa frequência tem sido muito bom para mim, não só para minha produção criativa.

E vocês? Como lidam com o branco? Já tentaram fazer uma coisa diferente, quando estão com constipação criativa?

Brigada eu.

Patinho

Trivialidades da Vida (Nanda Mota) – Roda de samba (conto)

Ordinários (Alysson Villalba) – Tem tanta gente na gente (conto)

Mentirinhas (Fabio Coala) – Mentirinha #461 (HQ)

Entre Todas as Coisas (Douglas Cordare) – Sobre meus passos sem você (conto)

Biscoitices (Renata Chelli) – Escrevo para doer menos (crônica)

Casa da Gabi (Gabi Bianco) – Cuide de você (crônica)

Ryotiras (Ryot) – When I’m sixty-four (HQ)

5minutos – Vim, vi e vivi (crônica)

Os Levados da Breca (Wesley Samp) – O que será? (tirinha)

Proféticos (Rafael Marçal) – Zíper e Lisa fazendo nada (tirinha)

Puny Parker (Vitor Cafaggi) – Valente (HQ)

Coisas boas da semana

Acho tão engraçado quando ouço alguém dizer que não gosta de ler, quanto quando alguém me diz que não gosta de música. A esse tipo de afirmação costumo responder que leitura é como música: você só não encontrou o tipo que te agrada. E é claro que eu estou errada. Tem gente que não gosta mesmo de ler, assim como tem gente que não se liga em música. Mas esse é o reflexo da importância que essas coisas têm na minha vida.

Meus pais tiveram a preocupação de me educar musicalmente desde muito pequena. Faziam questão que eu tivesse contato com as (poucas) músicas clássicas e eruditas que eles conheciam. Tive aulas de teclado e teoria musical até os catorze anos de idade. E cheguei a lecionar informalmente introdução à música para crianças, durante quatro anos.

Por isso eu tenho um ouvido muito chato. Digo que, para me agradar, uma música tem que passar pelo teste do arrepio. Se eu ouvi e não me arrepiou, não é nada demais. Mas, na verdade, gosto de músicas que me acrescentem algo. Que me ajudem a me decifrar ou me transformer, transcendam. Não é raro eu ouvir um cantor/banda novos, não curtir e, depois de um período de amadurecimento ou mudanças, ouvir novamente e simplesmente adorar o mesmo cantor/banda. Foi o que aconteceu com Birdy, Grimes e Foster the People, só para começar.

Eu também adoro conhecer bandas novas. Mas elas precisam ter algo que as façam diferente do que já cansei de ouvir no mundo. Sempre estou pesquisando vozes novas no youtube e, um tumblr que tem trazidos gratas surpresas a mim foi o Seis Músicas que a Juliana me apresentou. Esse tumblr oferece seis músicas para qualquer situação, tipo “lavar louça”, “pintar as unhas”, “ouvir chapado”.

Caso queiram conhecer o que eu gosto, façam uma visitinha ao meu perfil do Grooveshark. Separo minhas playlists por cantores favoritos ou humor, como poderão ver.

Vou deixar vocês com Lorde, que foi a Coisa Boa dessa semana. Que me fez querer tatuar o refrão dela em algum lugar bem visível.

Brigada eu.

cigarro

Contratempos Modernos (Rodrigo Chaves) – Desenhista e o amor (tirinha)

Mc Garden – Isso é Brasil (Vai lá. Fala que funk não é cultura.)

Mentirinhas (Fabio Coala) – Sonho (tirinha)

Entre Todas as Coisas (Daniel Bovolento) – Cansei de ser sozinha (conto)

Mas Não me Diga (Guilherme Alves) – 7 sinais de que de que o “gigante” talvez devesse voltar a dormir (artigo)

Blogueiras Negras (tradução de Mabia Barros) – Por que ter uma boneca negra? (artigo)

Do Óbvio ao Avesso (Juliana Cimeno) – Sobre a última aventura de férias (conto)

Caos Bravo (Alysson Villalba) – Há 13 anos, carroceiro limpa o rio Tietê (informativo)

Casa da Gabi (Gabi Bianco) – Só precisa de cura quem está doente (artigo)

Os Levados da Breca (Wesley Samp) – Culpados (tirinha)

Bichinhos de Jardim (Clara Gomes) – Grande Nação Formiguil – Parte 1 (HQ)

Coisas boas da semana

Oi, você! Como está? Eu tô bem, obrigada. =)

Essa semana estou toda trabalhada nas HQs. Mas você vai ver, cada uma delas vale muito a pena.

Não que vá mudar sua vida, ou que você tenha perguntado alguma coisa, mas achei legal falar sobre isso aqui.

Depois de passar por uma fase enorme de transição e autoconhecimento, que durou do meio do ano passado até o início desse ano, eu cheguei a conclusão de que eu estou beirando os 25 anos (velha pra caralho, pode falar) e ainda não fiz metade das coisas que gostaria de fazer.

Então quando 2013 começou, eu ainda não havia percebido, mas seria o ano em que eu faria muitas coisas pela primeira vez. E eu fui perceber isso somente semana passada, durante uma conversa com uma amiga. Eu sempre senti que para ser uma pessoa melhor de se conviver, você precisa amar ao próximo como a si mesmo e para amar ao próximo como a si mesmo, você precisa saber se colocar no lugar dos outros e para se colocar no lugar dos outros, muitas vezes é necessário fazer coisas que você nunca fez antes e ir a lugares que você nunca foi antes e experimentar coisas que nunca experimentou antes.

E, olha, tem funcionado. Ainda estou lutando contra alguns conceitos pré-concebidos e é um pouco difícil superar muitas coisas que você cresce ouvindo que eram certas e se fizesse o contrário seria punido. Mas a aventura tem sido enorme, tenho me sentido mais completa, motivada e tenho chegado em um estado pleno e tranquilo, bem parecido com aquilo que as pessoas chamam de felicidade mas juram que não existe. 😉

Eu uso esse espaço para minhas bobagens, mas no fundo, no fundo, quero que vocês comentem e compartilhem comigo se já passaram pelo mesmo que eu, ou se discordam de mim, sei lá. Adoro conversar e colecionar histórias. =)

E vocês? Quantas coisas fizeram pela primeira vez, este ano?

Beijo e brigada eu.

IMG_0194

Os Levados da Breca (Wesley Samp) – É como desenhar (Tirinha)

Entre Todas as Coisas (Daniel Bovolento) – Toque dele (Conto)

Mentirinhas (Fabio Coala) – Pedido (HQ)

Trivialidades da Vida (Fernanda Mota) – Amuleto (Conto)

Casa da Gabi (Gabi Bianco) – Os japoneses, o engraxate medroso e o Spa (Crônica)

Trastejando (Pablo Cezimbra) – Música: Isn’t it a pity (Crônica)

Hqrizando (Cleber Betto) – Meu vizinho SpiderMan (Tirinha)

Puny Parker (Vitor Cafaggi) – Valente (HQ – Não consegui escolher uma só para colocar aqui)

Petisco – Beladona (HQ)

Boas Novas (Diego Freire) – Ep. 13 (Vídeo)

O Nerd Escritor (Clairton) – Quatro e meia da manhã (Conto)

Coisas boas da semana

Oi, gente!

Estou mudando algumas coisas no conteúdo do blog. Comecei com a categoria de dicas de livros e agora vou acrescentar essa sessãozinha, de links de blogs e outros textos legais que eu vir durante a semana.

Indicações serão bem-vindas, mas já adianto que prefiro compartilhar conteúdo literário / autoral e não “coisas engraçadinhas” traduzidas do 9gag, ou blogs de entretenimento, ok?

Portanto deixem suas sugestões e cliquem muito nos links abaixo, porque eles super merecem. =)

IMG_0072

Nuvens no Meu Café (Gabi Dornelas) – Eu, Uma Nova Amiga e a Adriana Calcanhoto

Mentirinhas (Fabio Coala) – Num Piscar de Olhos

Trivialidades da Vida (Fernanda Mota) – A Última Dose

Boas Novas (Diego Freire) – Arte

Felipe Attie – A Casa na Árvore

Proféticos (Rafael Marçal) – O Macho Alpha 

Os Levados da Breca (Wesley Samp) – Palavrinhas

Casa da Gabi (Gabi Bianco) – Caipira