Leia-me: Heresia

fetchEu tenho uma mania péssima que é entrar na livraria, fuçar um monte de livros e pegar aqueles que a sinopse me atrai, sem ler resenhas, indicações e etc. Já quebrei muito a cara e tenho uma montanha de livros ruins em casa, por conta disso. Mas de vez em quando eu sou recompensada, como no dia que comprei Heresia.

Na verdade, quando comecei a ler, achei que tinha dado com os burros n’água de novo. Levou um pouco para a história me prender. Mas, pesquisando um pouco mais sobre o livro (depois que o li e adorei) descobri o motivo: o protagonista Giordano Bruno é um personagem histórico. O que quer dizer que ele existiu mesmo. Portanto a suposta “enrolação” da autora (S. J. Parris, pseudônimo de Stephanie Merritt), na verdade é a contextualização histórica e construção do personagem.

Dando uma geral, a história se passa na Inglaterra elisabetana, em 1583, onde acontecem diversos conflitos por conta de religião: enquanto a maior parte da Europa é católica, a rainha Elizabeth se declara protestante e, com isso, conquista a fúria e as conspirações dos católicos ingleses. Nosso herói é declarado herege, por ser um defensor da teoria de Copérnico, de que a Terra gira em torno do Sol e não o contrário. Por isso ele é convidado à Oxford, para debater essa teoria juntamente aos teóricos da universidade. Continuar lendo