Fogos de final de ano

O soldado acordou com um facho ensolarado brilhando em seus olhos.

Esfregou o rosto com as mãos e o gesto lhe fez sentir o ferimento nas costelas.

Não reconheceu as paredes que o cercavam, mas lembrou-se vagamente de ser ferido e abandonado pelos companheiros.

Tentou mover as pernas e não conseguiu. Tentou chamar alguém, mas a voz falhou. O esforço o esgotou e tudo se apagou novamente. Continuar lendo