Coisas boas da semana

Tenho amigos interessantes. Gente realmente fora do comum.

Muitos deles vieram por causa desse blog e acho que quase todos vieram por causa da internet, o melhor lugar para conhecer gente normal no sentido “ser normal é não ser normal” que a palavra “normal” traz.

Tenho, por exemplo, amigos viciados em coisas medievais, amigos que fazem coisas incríveis com as próprias mãos, amigos que tocam e cantam muito bem, amigos que conseguiram sucesso profissional antes dos 25 anos, amigos que sempre têm algo foda para dizer no momento certo, amigos que escrevem, amigos que desenham, amigos que pintam, amigos que cozinham coisas mágicas.

No fundo, não sei se eu que dou a sorte de conhecer todo tipo de gente incrível desse mundo ou se, na verdade, é o universo que coloca essas pessoas incríveis no meu caminho de propósito, para que eu esteja sempre cercada de bons exemplos.

Anyway, um desses amigos tem o dom de me indicar bandas que eu vou cair de amores em seguida. A gente meio que compete pra ver quem vai apresentar o próximo vício do outro. E dessa vez ele zerou o jogo tão zerado, que eu não quero mais brincar.

A coisa boa da semana é a banda CocoRosie. Não sei se você, leitor, vai gostar. Mas eu não consigo parar de viajar nessas músicas.

Brigada eu.

Trivialidades da Vida (Fernanda Mota) – A Caneca (conto)

Mundo Mel (Melissa de Sá) – Carta para meu eu de 14 anos (crônica)

Edu Bernard (Eduardo Bernardinelli) – Quem é você? (crônica)

Hugo Rodrigues – Entre beijos, mordidas e dormências (crônica)

Hqrizando (Cleber Betto) – Excesso de café (tirinha)

Nunca Fui Fofa (Dre Reze) – Num mundo novo (crônica)

Entre Todas as Coisas (Daniel Bovolento) – Até logo (crônica)

Bichinhos de Jardim (Clara Gomes) – Marque a resposta (tirinha)

Mentirinhas (Fabio Coala) – Chegada (HQ)

Torradas Tostadas (Nina Rocha) – Papo de ônibus (conto)

Boas Novas (Diego Freire) – Caridade (vídeo)

Anúncios

Carta ao menino que desenhava

Ilustração de Stephen Wiltshire

Ilustração de Stephen Wiltshire

“28 de marco março de 2010

Oi, menino.

Fiquei com vontade de escrever para você.

Te vi sozinho desenhando, sob uma árvere árvore do parque onde eu estava andando de bike bicicleta. Dei umas três voltas no parque todo e você continuava lá, sentado, rabiscando. Na quarta volta eu resolvi estacionar do seu lado e quase capotei de bike em cima de você minha curiosidade venceu e eu dei um jeito de sentar sob a mesma árvore que você.

Você até olhou pra mim e riu um pouco deu um sorriso discreto, que eu correspondi enquanto encostava a bicicleta no tronco. Depois disso você voltou a se concentrar no desenho e nem viu enquanto eu tirava o meu livro da bolsa e me recostava para fingir que lia. Continuar lendo

Destino

microconto_4

Tem mais Wesley Samp no Os Levados da Breca

Prisioneiro

microconto_ilustrado_3

 

Tem mais Wesley Samp no Os Levados da Breca =D