Carta ao Gari da Estação:

gari20 de outubro de 2008:

Olá, senhor lixeir gari da estação!

Já faz alguns anos que eu desço todos os dias sempre no mesmo ponto, no mesmo horário. É a hora que estou indo para a escola. O tempo varia: às vezes está um puta sol já bem quente, em plena manhã. No outono o sol é gelado, nesse horário. Já no inverno é MUITO frio. E tem dias que está chovendo bastante, pouco ou garoando.

Não importa o tempo, o senhor está lá, varrendo o lixo que nós jogamos. Me incluí nisso, porque eu mesma já joguei lixo no chão várias vezes. Agora não mais.

Porque passando todos os dias no mesmo lugar, no mesmo horário e vendo-o realizar o seu trabalho que não deveria ser tão árduo, se fôssemos um pouco menos porcalhões mais educados, me fez repensar se eu não estava sendo um tantinho egoísta. Continuar lendo

Carta à enfermeira da Santa Casa

18989_nurses_kids_520“17 de janeiro de 2013.

Querida enfermeira da Santa Casa,

Creio que não se lembra de mim. Essa madrugada estive no hospital pois desceu pra mim por conta de uma cólica e precisei tomar buscop remédios na veia. Você também tirou meu sangue para análise clínica. O médico que me atendeu achou que essa cólica toda poderia ser falta de alguma vitamina.

Mas também não espero que se lembre de mim. Tantas pessoas passam pelos seus cuidados todos os dias… Seria de uma memória invejável, se lembrasse de cada uma delas. Está aí algo que eu deveria aprender com você. Continuar lendo