Leia-me: Senhora

3772682492Quase tanto quanto a marquinha de vacina no braço, faz parte do protocolo de brasilidade ser obrigado a ler José de Alencar quando se está na escola. Muita gente cria verdadeira aversão pelo autor nessa época porque, convenhamos, o cara tinha uma inacreditável tara por detalhes, chegando a levar três páginas para descrever o vestido de uma dama em um baile.

Porém esta categoria de posts serve para sugerir livros que me agradaram e, embora eu seja do contra e ame José de Alencar, acredito que Senhora seja uma leitura mais do que necessária: surpreendente e prazerosa. (Acho que vocês já perceberam que tenho um fraco por histórias legais, então perdoem-me se não gostaram do livro).

Gosto de Senhora por vários motivos. O primeiro deles: como a maioria dos clássicos da literatura nacional, é o retrato de uma época (no caso, sociedade fluminense na época do segundo império). E não é um retrato político ou histórico. É mais íntimo. É um retrato do que acontecia dentro das casas, nas saletas das recepções oferecidas pelos membros da corte. Um retrato do comportamento das pessoas em um determinado contexto histórico. Pronto. Já me ganhou.

O segundo motivo: Aurélia Camargo, a Senhora do título, é uma personagem como poucas. Se 75% do corpo humano é feito de água, o dela é 75% orgulho e os 25% restantes são puro sarcasmo. Ela escarnece da futilidade da alta sociedade na cara larga e todo mundo solta aqueles risos nervosos e louvam sua “excentricidade”, porque ela É RHYCA, QUIRIDINHA.

Terceiro e o mais importante: é uma história de amor maravilhosa, porque foge dos lugares-comuns de todos os romances que vocês conhecem. Aurélia ama Fernando mais do que qualquer coisa no mundo, mas ela não pode suportar que o homem da sua vida seja um fraco ganancioso, igual a todos os outros. E quando ele a decepciona ela simplesmente o compra (Sim. Ela o compra.) com seu voluptuoso dote e o encarcera em um inferno doméstico, humilhando-o até onde pode.

Se falar mais do que isso estrago a surpresa e, apesar do preconceito que o nome “José de Alencar” desperta, eu sei que vocês são legais e vão dar uma chance para o autor. Ou uma segunda chance, já que a probabilidade de vocês terem lido esse livro no colégio e não lembrarem nada dele hoje em dia é grande.

A única ressalva é quanto ao detalhismo incorrigível do escritor. Mas também sei que vocês são pacientes e vão compreender o carinho que ele tinha pelas cenas e personagens e por isso fazia questão de não deixar a nossa imaginação muito livre.

Apenas esqueçam que é um clássico nacional e leiam como uma boa história de época. Vocês não irão se arrepender. Eu garanto.

3 pensamentos sobre “Leia-me: Senhora

  1. Acabei de responder à este post lá no twitter dizendo que não conseguia ler nenhum desses livros na época do colégio. Tinha o Dom Casmurro até um dia desses e nem consegui terminá-lo, mas ao ler o teu post agora tratando o livro de forma diferente, pode ser que eu consiga lê-lo. Se eu obtiver êxito, parabéns, você é muito convincente haha!
    Beijo!

    • Uia!!! Aguardando ansiosamente!! =D É um livro que precisa de paciência sim, Shirley. O José de Alencar era muito descritivo e a linguagem é antigona. Mas vale a pena pela história incrível e, se tiver paciência, certeza que você também vai entrar pro #aureliateam hehehehe

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s