O que é anticoncepcional transdérmico?

Tudo começou assim: depois de muitas enxaquecas no final de dias estressantes e um período infernal quando eu tinha três crises terríveis de dor de cabeça por mês, eu descobri que o meu problema era emocional e hormonal.

As enxaquecas mais comuns são causadas por intolerância a certos alimentos. Mas eu não posso passar por emoções muito fortes, que no final do dia lá está ela, firme, forte e permanecerá por exatas 24h.

Na época das três crises, eu usava anticoncepcional  em pílula. Foi quando eu parei de usar e as dores sumiram, que eu descobri que não adiantava eu cortar chocolate ou a gordura que fosse do meu cardápio (êêê!!), que não ia sarar.

Então lembrei de uma tia minha que teve dores de cabeça horrorosas por causa da pílula, que desapareceram com o uso do anticoncepcional em adesivo. Liguei pra minha médica e ela achou uma boa ideia tentar.

Só que quando eu fui pesquisar na internet sobre o anticoncepcional transdérmico, achei pouca informação sobre o uso. E perguntando pra uma amiga e outra, notei que algumas nem sabiam que isso existia. Então resolvi contar como foi a MINHA EXPERIÊNCIA (que fiquei bem claro desde já) com esse método. 

 

Como é:

Um adesivo. Parece uma descrição simplista, mas é bem isso mesmo. Você até olha com um pouco de desconfiança pensando “será que esse trequinho funciona?”. Ele tem mais ou menos a área de uma caixa de fósforo, um pouco maior, rosadinho e com os cantos arredondados. Parece uma lâmina de borracha. No dia que cola fica lindo, você se sente a mulher mais moderna e tecnológica do mundo.

Só que ele é chatinho. Não fica estático na pele. Ele “dança” um pouquinho. Daí deixa umas colas nas bordas e se você usa roupas escuras fica um nojo só.

E nas primeiras vezes dá um desespero, você fica “sentindo” ele. Morrendo de medo de ele descolar, dobrar, entrar água… E, bem, ele faz umas dobrinhas, às vezes a borda levanta, mas comigo ele não descolou, nem quando o usei na praia. E na matéria do IGirl que eu colei ali embaixo, no fim, os especialistas que desenvolveram disseram que ele foi testado em mulheres que iam à praia, nadavam e malhavam direto.

Mas ainda assim, shit happens, se ele sair é só colar de volta, sem problemas. Exceto no caso de você achar que ele descolou a mais de 24h, aí tem que colar um novo.

Ele é um pouco mais caro que as pílulas, mas nada que te faça ter que deixar o útero na farmácia pra comprar.

E, claro, o mais importante: a taxa de eficiência é idêntica à da pílula, 99,9%.

Como se usa:

A caixinha vem com três adesivos. Cada um deles, dentro de um pacotinho branco de papel, grudadinho no pacote de um lado e com os protetores plásticos da parte colante do outro. O jeito mais fácil de desgrudar ele sem fazer caca, é rasgar todo o outro lado do pacotinho que ele não está grudado e depois levantar a beiradinha dos protetores e tentar erguer a ponta dele com a unha.

Não tente tirar os protetores primeiro, colar ele na pele e depois tentar tirar o resto do pacotinho, porque eu fiz isso e depois não conseguia tirar aquele monte de papel sem descolar o adesivo e quase tive que fazer o que toda mulher independente faz quando se vê em desespero: chamar a mãe.

A pílula que a gente toma todo dia é uma pequena bomba hormonal que precisa enfrentar nossos sistema digestivo e, depois de digerida, entrar na corrente sanguínea pra fazer efeito. Por isso é mais fácil ele atacar o fígado e dar dor de cabeça.

O adesivo é trocado uma vez por semana. Isso mesmo, Brasil! POR SEMANA! Diminui muito o risco de esquecimento.
Ele é absorvido ao longo dos dias pela pele e já entra direto na corrente sanguínea, por isso a quantidade de hormônio é muito menor e o efeito é o mesmo da pílula.

Começa a usar no primeiro dia da menstruação, assim como a pílula. Só que o risco de esquecer de tomar é muito menor, pois só vai ser trocado no mesmo dia da semana seguinte. Aí você usa os três adesivos e faz pausa de uma semana pra menstruação.

Pra tirar é tipo depilação com cera: levanta a pontinha e puxa de uma vez. Quanto a isso, sei que mulher nenhuma vai ter problema (rê rê).

Os lugares indicados pela bula, pra colar o adesivo são: baixo ventre (entre o umbigo e a virilha), qualquer parte do bumbum, parte de trás dos ombros e parte superior dos braços. Não foi testada a eficácia do adesivo em outras partes do corpo, então é bom não arriscar. E eles são bem enfáticos em dizer pra NÃO COLAR NOS SEIOS.

Reações EM MIM:

Bom, depois de pesquisar, perguntar pra dotôra, comprar os adesivinhos e morrer de ansiedade pra começar a usar logo, menstruei e já fui correndo colar.

Aí, sete dias depois (pois é, tudo isso. E eu nem sou anêmica) a menstruação acabou, mas eu fiquei o resto do mês com aquele sangramento ralo e marronzinho, que chamam de spotting.

Meus seios ficaram muito sensíveis e meio inchados e tive um pouquinho de irritação na pele onde colei o adesivo, mas nada grave. Só sentia coçar um pouco. A bula orienta a não colar os adesivos sempre no mesmo lugar, pra não dar alergia.
Eu tenho a pele bem sensível e senti coçar em todos os lugares que colei. Onde mais deu irritação foi no ombro e onde deu menos, foi na barriga.

Quando comecei o segundo ciclo, já não tive mais o spotting, porém o seios continuaram um pouco doloridos. A menstruação já controlou total.

E agora, de uma maneira geral, não senti diferença nas cólicas, nem na TPM e infelizmente, nem nas enxaquecas. Pelo menos com o adesivo, só tenho uma crise por mês. Mas pretendo continuar usando. É bem mais prático que pílula e, do jeito que sou cabeçuda, evita esquecimentos.

Procurei muita informação antes de começar a usar, então eu já estava mais ou menos por dentro dos efeitos colaterais.

Vou compartilhar com vocês os links do site Anticoncepção.org e do IGirl, que foram as mais interessantes que achei sobre esse assunto.

Mas lembre-se que tratamos de sua saúde e dos seus hormônios. NUNCA devemos começar o uso de qualquer medicamento sem conversar com nosso médico de confiança. Mas como efeitos é algo meio pessoal, achei que seria legal compartilhar minha experiência com vocês.

Update: Agora, quatro meses de uso depois, as dores nos seios diminuíram, as cólicas também. A dor de cabeça acontece pouco, bem menos se comparada à frequência das crises quando eu usava a pílula. Saldo final: APROVADÍSSIMO.

Beijinhos!

3 pensamentos sobre “O que é anticoncepcional transdérmico?

  1. Olá Deka!

    Estou usando o adesivo, já faz 2 meses. Eu sofro muiiiito c/ a TPM tb, então pesquisei e falei c/ o meu médico, e ele me receitou. Ainda tive, nesses 2 meses, todos os sintomas da malvada, mas espero q melhore c/ o tempo.
    Qto ao valor, é um pouco mais caro mesmo, mas meu médico me passou um “cartãozinho” c/ o fone do laboratório, onde me cadastrei e ganhei o direito de desconto de 30%, legal né? Ao invés de pagar +/- R$ 74,00, estou pagando +/- R$ 44,00, (c/ os descontos do “cartãozinho” + o da famácia).
    Pelo q li acima, parece q estamos usando a mesma marca de adesivo! Me envia o nome por e-mail, e te mando o fone p/ vc cadastrar seu CPF e usufruir do desconto tb.
    Ahh, parabéns pelo post, é de utilidade pública.
    Bjs.

  2. Genteeeee…. passa esse tal desse telefone pra mim!!! hauhaua
    Vou começar a tomar tbm, mas quase desisti quando vi o preço de R$ 74!
    se tiver como, me passa o telefone por email!
    Ah, amei o site e o post! ^^

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s