Príncipe dos mares (reedição)

Fuçando nos arquivos antigos, fui reeditar este post e de repente, ele tomou uma interpretação inteiramente nova pra mim, falando diretamente às minhas últimas experiências. Achei que era hora de postá-lo novamente:

Observou as marcas deixadas pelos seus pés, onde pisara na areia molhada. Ela caminhava abraçando a si mesma, com o pensamento longe dali. Há dias não falava com ninguém, por não querer expor o que reprimia ou temer ouvir a própria voz. Continuar lendo